segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

" RAFAEL/ 19



" O amor, para mim, consistia não em tal ou tal sintoma, em certos olhares, numa confissão, em determinada circunstância exterior, contra os quais poderia haver-me acautelado. Encontrava-me como esses miasmas invisíveis espalhados na atmosfera que me rodeava, no ar, na luz, na estação moribunda, no isolamento da minha vida, na aproximação misteriosa dessa outra existência que parecia também isolada, nesses longos passeios, que não me afastavam dela senão para melhor conhecer a atracção inconsciente que me fazia aproximar, no seu vestido branco visto de longe por entre os pinhais da montanha, nos cabelos negros que o vento do lago sacudia sobre a borda do seu barco, nos passos pela escada, na luz da sua janela, no leve ranger do soalho do quarto sob os seus pés pequeninos, no ruído da sua caneta sobre o papel, quando escrevia, no silêncio dessas longas noites de Outono, que ela passava solitariamente a ler, a escrever, a meditar a poucos passos de mim, na fascinação, enfim, dessa formosura fantástica que eu vira de sobejo sem olhar para ela e que eu tornava a ver quando cerrava os olhos, através da parede, como se esta fosse transparente para mim." Continua 

6 comentários:

Estrella Altair disse...

Olá Além Da Vista, goste de teu blog, agora nao tenho tempo de ler este post... só vim para saludarte ... e conhocerte um bocadiñho.... pronto regreso e comento-te cualquier cousa.

Um beijinho.

O meo Portugues nae é muito bom, peço disculpas.

Cleo disse...

Lindo teu blog, obrigada por seguir o meu.
Imagens belíssimas e textos também. Parabéns.
Beijos
Cleo

Estrella Altair disse...

Bom tenho leido algums de teus textos e gosto de muito delos.

Mas tenho de dizer-te que gosto de passar à acção e não só olhar pelas janelas e ao longe, acção, entrar em contacto e falar e sentir e se olhar cara a cara.

Um abraço e até cedo

Angela Ladeiro disse...

Clássico, romântico. Sempre na moda! Para mim...

NELA disse...

Espero o próximo capítulo! Estou a gostar

Estrella Altair disse...

Alem, a que não se se estarei à altura sou eu, pois não me dí conta de que era um relato, mas não te preocupes, gosto muito de portugues e ao final entenderei o que escreves em todo seu sentido simbolico.
Um beijo

Acerca de mim

Arquivo do blogue