segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

RAFAEL / 22




" Mas a família do velho médico não tinha as mesmas razões para respeitar esse segredo. A curiosidade natural que despertam os hospedes nestas casas que vivem de estranhos, interpretava à mesa todas as circunstâncias, todas as probabilidades, as mais simples noções que podia colher acerca da jovem estrangeira. Sem interrogar e evitando mesmo provocar a conversação a seu respeito, tive conhecimento do pouco que se principiava a saber dessa existência oculta. Interrompida debalde a conversa que todos os dias se repetia às horas da comida sobre o mesmo assunto; homens, mulheres, crianças, raparigas, banheiros,criados da casa, guias das montanhas, barqueiros dos lagos, a todos ela impressionava, maravilhara e enternecera sem falar a pessoa alguma. Atraíra o pensamento, o respeito, a conversação, a admiração de toda a gente. " Continua

3 comentários:

Estrella Altair disse...

Olá caro amigo, ja tenho ... bontade de conhocer as raçoes do segredo do velho e também, conhocer mais coisas de jovem estrageira.... é muito interesante...

Um abraço e até cedo

netuno artes disse...

Gosto do seu trabalho, belíssima poesia, grande abçs

Estrella Altair disse...

Boa tarde, só vim para verte.... e saudarte...

Um abraço

Acerca de mim

Arquivo do blogue